Piauí recebe do PNI as primeiras doses da vacina contra a Mpox

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Piauí recebeu do Programa Nacional de Imunização as primeiras doses da vacina contra a Mpox

O Piauí recebeu do Programa Nacional de Imunização as primeiras doses da vacina contra a Mpox. Nesta primeira etapa, os imunizantes são destinados a grupos específicos. O imunizante chegou, na manhã desta terça-feira (14).

Segundo a Coordenação de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), o Ministério da Saúde enviou 127 doses. O esquema de vacinação tem indicação de duas doses para cada pessoa, com intervalo de 28 dias entre cada dose, e para pessoas acima de 18 anos.

“De acordo com o Ministério da Saúde, nessa primeira fase da campanha a imunização focará em grupos de risco para as formas graves da doença, como pessoas que vivem com HIV/Aids e profissionais de laboratórios que atuam em locais de exposição ao vírus.”, explica a coordenadora de Imunização da Sesapi, Bárbara Pinheiro.

No estado do Piauí, os imunizantes estarão disponíveis nas cidades de Teresina (Sala de Vacinação Especial do Hospital Infantil Lucídio Portella – para pacientes acompanhados pelo Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella e pelo Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo), em Parnaíba, Piripiri, Oeiras, Floriano e Picos (Serviço de Atendimento Especializado em Saúde – para as pessoas atendidas pelo serviço).

“No Piauí, os centros especializados entrarão em contato com essas pessoas para que possam comparecer para receber as vacinas. A Sesapi já está com o levantamento desses indivíduos que possuem as condições estabelecidas pelo PNI para receber a vacina. Lembrando que são duas doses e é necessário o retorno para a segunda aplicação, para que a proteção contra a Mpox seja garantida”, disse a coordenadora de ISTs da Sesapi, Karina Amorim.

Públicos

Podem tomar a vacina pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA) com status imunológico identificado pela contagem de linfócitos T CD4 inferior a 200 células (condição que deixa o sistema imune menos capaz de combater determinadas infecções), nos últimos seis meses.

A vacina também é destinada para profissionais de laboratório que trabalham diretamente com orthopoxvírus [a família do vírus da monkeypox] em laboratórios com nível de biossegurança 3 (NB-3), de 18 a 49 anos de idade.

Para receber as vacinas pós-exposição é necessários que o indivíduo tenha tido um contato de médio ou alto risco de exposição com um suspeito, provável ou confirmado para Mpox, ter entre 18 a 49 anos de idade e comparecer ao serviço para vacinação até 4 dias após a exposição.

Casos

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Piauí (Cievs) já registrou 39 casos confirmados de Mpox no Piauí. Foram notificados ainda 272 casos, com 199 sendo descartados. A predominância no estado é em indivíduos do sexo masculino (37), e apenas dois no sexo feminino. A faixa etária mais atingida é de 30 a 39 anos, com a confirmação de 18 casos, seguida pelas idades de 20 a 29 – com 13 positivos.

Fonte: Ascom/ Pi.gov

Telsirio

Telsirio

Faça um comentário!

Receba nossas notícias em tempo real!

Não enviamos spam!