Governador se reúne com 400 trabalhadoras rurais e recebe reivindicações da Marcha das Margaridas

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Rafael Fonteles destacou que as pautas estão alinhadas com o seu plano de governo e que mais políticas públicas voltadas às mulheres do campo serão implementadas.

O governador Rafael Fonteles esteve reunido, nesta segunda-feira (31), com mais de 400 mulheres trabalhadoras rurais piauienses, no Centro de Formação da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Piauí (Fetag-PI). Na oportunidade, o gestor recebeu a pauta de reivindicações da Marcha das Margaridas e uma placa em agradecimento ao seu comprometimento e apoio ao movimento.

Com previsão de receber mais de 100 mil mulheres em sua 7ª edição, em Brasília (DF), entre os dias 15 e 16 de agosto, a Marcha das Margaridas é considerada a maior ação política de mulheres da América Latina com protagonismo das mulheres do campo, da floresta e das águas. Neste ano, o seu lema é “Pela reconstrução do Brasil e pelo bem viver”.

As reivindicações endereçadas ao governador, também entregues ao Governo Federal, estão organizadas em 13 eixos temáticos. São eles: democracia participativa e soberania popular; poder e participação política das mulheres; combate à violência, ao sexismo e ao racismo; autonomia e liberdade das mulheres sobre o seu corpo e a sua sexualidade; proteção da natureza com justiça ambiental e climática; autodeterminação dos povos, com soberania alimentar, hídrica e energética; democratização do acesso à terra e garantia dos direitos territoriais e dos maretórios; direito de acesso e uso da biodiversidade e defesa dos bens comuns; vida saudável com agroecologia e segurança alimentar e nutricional; autonomia econômica, inclusão produtiva, trabalho e renda; saúde, previdência e assistência social pública, universal e solidária; educação pública não sexista e antirracista e direito à educação no campo; e universalização do acesso à internet e inclusão digital.

 

O governador exaltou o movimento e a sua importância na implementação de políticas públicas voltadas às mulheres. “O nosso programa de governo é sintonizado com esse movimento. Essas trabalhadoras participaram, inclusive, da elaboração do nosso plano de governo. Então, o nosso trabalho, agora, é agir para implementar essas políticas rapidamente, especialmente no que diz respeito ao trabalho, emprego e renda, saúde, educação e ao combate à violência contra as mulheres”, disse Rafael Fonteles.

Ainda segundo o governador, uma das formas de combater a violência contra as mulheres é investir para que elas atinjam a sua independência financeira. “A partir do momento em que elas se tornarem cada vez mais independentes, os índices de violência diminuirão. Sabendo disso, estamos trabalhando e priorizando para que tenham acesso ao empreendedorismo feminino, seja no campo ou na cidade e a políticas de créditos e tecnologias”, explicou.

Segundo Marlene Veloso, secretária de mulheres da Fetag-PI, a pauta de reivindicações foi montada com base nas principais necessidades e demandas de cada estado e região, de forma que as políticas públicas cheguem até as zonas rurais. “Queremos dialogar com o governador e apresentar a ele quais as principais dificuldades que temos, para que a qualidade de vida no campo aumente com educação e saúde de qualidade, segurança e paz social e acesso a informações e tecnologias”, destacou.

De acordo com a secretária de Agricultura Familiar, Rejane Tavares, as pautas foram acolhidas e serão realizadas tratativas junto aos sindicatos e representantes da Fetag-PI para que sejam definidas as prioridades e a distribuição dessas ações ao longo do mandato do governador Rafael Fonteles. “No que diz respeito à agricultura familiar, algumas reivindicações já estão alinhadas com a nossa gestão, como o incentivo a feiras livres, realização de feiras territoriais, a mecanização da agricultura familiar e um percentual dos nossos programas voltados às mulheres. Tudo isso já está sendo executado e faremos muito mais durante a nossa gestão”, finalizou a secretária.

Fonte: Ascom/Pi.gov

Telsirio

Telsirio

Faça um comentário!

Receba nossas notícias em tempo real!

Não enviamos spam!