Semec estuda liberar alunos para aulas remotas e com turnos alternados no B-R-O Bró

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

O secretário Municipal de Educação de Teresina, Nouga Cardoso, informou na manhã desta quarta-feira (27), que estuda a possibilidade de liberar alunos no período da tarde para que eles possam assistir aulas de forma remota.

A medida emergencial se deve às altas temperaturas com registro de até 40,2 graus Celsius em Teresina e as constantes quedas de energias nas unidades escolares.

Nouga Cardoso esclareceu que as novas medidas serão adotadas somente para as escolas que enfrentam problemas com energia. Segundo ele, das 321 escolas em Teresina, 10% têm problema de demanda de energia e manutenção de aparelhos de ar-condicionado.

“Estamos discutindo soluções como medida paliativa para vencer esse período do B-R-O Bró, permitir que alunos continuem com o percurso formativo on-line e de forma remota ou a possibilidade de ter alternância de aulas para o aluno de dois turnos, estude pela manhã e à tarde tenha atividades didáticas em casa ou de modo virtual”, disse Nouga.

Nos últimos dias, algumas escolas têm liberado alunos antes do horário, devido ao calor e a problemas de energia e a manutenção de aparelhos de ar-condicionado.

Nouga disse que este ano a situação se agravou em algumas escolas, devido às altas temperaturas e a péssima qualidade de energia que chega as escolas.

“Eu sinceramente não vejo, embora pudesse amortizar a crítica, não vejo que a colocação de ventiladores para circular ar quente vai resolver o problema na sala de aula, eu não vejo que a colocação de split sem uma rede de energia estável potente vá resolver o problema”, disse o secretário.

Uma das escolas que está em situação crítica é a Manoel Nogueira Lima, em Chapadinha, zona Rural de Teresina. A direção teve que suspender as aulas, após professores passarem mal com o calor. O secretário Nouga Cardoso disse que os aparelhos de ar-condicionado estão na escola para serem instalados, mas não existe energia suficiente para a demanda.

Sobre a possibilidade de liberar 100% os alunos, Nouga disse que a situação tem que estar bem crítica para o conselho da escola adote essa medida. Ele ressaltou que soluções serão adotadas para não prejudicar a avaliação do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Sobre a falta de energia na escola de Chapadinha, a Equatorial enviou nota de esclarecimento.

Leia:

“A Equatorial Piauí esclarece que enviará uma equipe até a Escola Municipal Manoel Nogueira Lima para inspeção da rede elétrica que atende a escola e realizar medição do nível de tensão, além de verificar se a carga atual, devido a instalação de aparelhos de ar-condicionado, corresponde a demanda cadastrada como necessária na distribuidora. Caso constatada a necessidade de aumento de carga, a escola será orientada para realizar a solicitação e a Equatorial realizar as intervenções necessárias”.

Fonte: Cidadeverde.com

Telsirio

Telsirio

Faça um comentário!

Receba nossas notícias em tempo real!

Não enviamos spam!